Hanseníase: Conheça a Doença e Deixe o Preconceito de Lado

09/02/2018


Apesar de ser uma doença muito antiga, com tratamento e cura disponíveis há mais de 20 anos, os pacientes diagnosticados com Hanseníase ainda sofrem preconceito.

Precisamos esclarecer para a população que a partir de 15 dias do início do tratamento o paciente deixa de transmitir a doença.

Sintomas e Diagnóstico

Em estágio inicial a Hanseníase é caracterizada pelo aparecimento de manchas despigmentadas (com pouca coloração) e que apresentam perda de sensibilidade: calor, frio, dor e tato, além disso, essas áreas podem apresentar sensação de formigamento, fisgadas e dormência.

As lesões podem surgir em qualquer parte do corpo, porém é mais comum na face, nádegas, braços e pernas.
Conforme a evolução da doença as lesões tornam-se mais palpáveis e visíveis, pois se transformam em placas, nódulos, podendo ainda atingir nervos e causar dor e perda de força muscular, principalmente em membros inferiores, superiores e rosto. A falta do tratamento pode levar ainda a lesões irreversíveis, como: destruição óssea, lesões nervosas e úlceras.

O diagnóstico é feito por avaliação clínica, e se necessário seguido por exames dermato-neurológicos, biopsias com exames anatomopatológico e pesquisa do bacilo álcool ácido resistentes na linfa.

O diagnóstico precoce é fundamental. Quando identificamos e tratamos a hanseníase em estágio inicial, as chances de cura sem que haja nenhuma sequela é tremendamente maior, além disso, após 15 dias do início do tratamento o paciente deixa de ser um transmissor. Por isso, é fundamental, consultar um dermatologista em caso de suspeita.

Prevenção e Transmissão

A transmissão depende do convívio íntimo e continuo com um paciente portador da doença, que não esteja em tratamento.

Apenas 10% a 20% da população que tem contato com o bacilo desenvolve a Hanseníase.

Em caso de histórico familiar ou convívio com um paciente, as pessoas mais próximas, que tem contato diário devem procurar o posto de saúde mais próximo para fazer um exame.

Tratamento

O tratamento recomendado pelo Ministério da Saúde é a poliquimioterapia, que tem duração em média de 6 meses a 1 ano, mas em casos mais avançados podem chegar a dois anos. Se o paciente fizer o tratamento e acompanhamento de forma correta e pelo tempo estabelecido, pode ser curado.

Em caso de suspeitas de hanseníase consulte seu médico dermatologista. Hanseníase tem cura, só depende de você!







 


Compartilhe Essa História, Escolha a Sua Plataforma!

voltar

 

hidea.com - agência web
Copyright © SBD-PR - todos os direitos reservados