Onicocriptose é o nome científico da unha encravada. Ocorre quando uma espícula da unha cresce para dentro da pele, causando inflamação, inchaço e dor no local. O mais comum é ocorrer na unha do dedão do pé. Os motivos mais comuns são unha com formato muito encurvado, corte inadequado da unha, uso de calçados muito apertados, traumatismo na lateral da unha.

Muitas vezes, na tentativa frustrada de desencravar, as pessoas cortam o canto ou removem toda a pele da lateral da unha. Isso alivia a dor momentaneamente, mas acaba piorando o quadro e gera um ciclo vicioso: corte errado para tentar corrigir, unha encrava mais, corte errado para tentar corrigir novamente, unha encrava mais ainda.

O corte correto é deixar o formato da unha quadrado. Se for muito difícil para cortar assim, pode ser melhor apenas lixar a unha.

Existe uma graduação da unha encravada, que vai de 1 a 3 e o tratamento depende desse grau. Unhas com pouca inflamação ou grau 1, podem ser tratadas com correção da maneira de cortar a unha, acompanhamento podológico e técnicas conservadoras de reorientação do crescimento da unha. Os graus 2 e 3 já tem indicação de acompanhamento médico e podem ser tratados com algumas técnicas não cirúrgicas e cirúrgicas.

A matricectomia, técnica cirúrgica de correção de unha encravada, é um procedimento médico e como tal, deve ser feito por médicos capacitados pois há riscos de infeção e crescimento defeituoso da unha. O procedimento é feito com anestesia local e quase nunca há necessidade de internamento. O tempo de cicatrização é muito variável, mas geralmente leva de 10 a 30 dias, e durante esse período é recomendado evitar o uso de calçados apertados e a prática de atividades esportivas com impacto.

Beijos e não se esqueçam de passar filtro solar ☺

Dra. Flávia Trevisan

Médica dermatologista e Mestre em Medicina Interna | CRM/PR 31445 | RQE 16868